Páginas

domingo, 8 de outubro de 2017

Poesia e mar...







Quando eu morrer voltarei para buscar 
os instantes que não vivi junto do mar





Mar

I
De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua
.
II
Cheiro a terra as árvores e o vento
Que a Primavera enche de perfumes
Mas neles só quero e só procuro
A selvagem exalação das ondas
Subindo para os astros como um grito puro.



in Poesia, 1944


Fonte: Instituto Camões




Sem comentários:

Enviar um comentário