Páginas

sexta-feira, 27 de março de 2015

DIA MUNDIAL DO TEATRO: entradas gratuitas

cabeçalho
Sessões de comemoração, efemérides, lançamentos de livros, homenagens ou outras atividades relacionadas com a atividade teatral.
 
DIA MUNDIAL DO TEATRO
27 MAR 2015
VÁRIOS LOCAIS | ENTRADA LIVRE*

No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Teatro, o TNDM II propõe um conjunto de atividades de entrada livre. 

18h
Homenagem a João Villaret (espetáculo - versão 30 min.)
No Dia Mundial do Teatro apresentamos excertos do espetáculo Homenagem a João Villaret, que recria os grandes números que o ator criou em vários espetáculos de Revista. É uma viagem pela vida do ator, a sua formação, os trabalhos que marcaram a sua presença no teatro e no cinema, pontuados sobretudo por recolhas de entrevistas do ator que nelas reflete sobre a criação, a poesia, a intervenção do teatro junto das camadas populares e a função da televisão, que então aparecia em Portugal e de que João Villaret se tornaria numa das suas grandes primeiras vedetas.
 
com Carlos Paulo, Hugo Franco e Ana Lúcia Palminha
produção Comuna – Teatro de Pesquisa
 
"João Villaret 1913-1961 - Duas mãos que abertas deram tudo" (lançamento de livro) 
Resultado de um longo trabalho de investigação, recolha e organização, esta obra comemorativa do centenário do nascimento de João Villaret (1913-1961) inclui inéditos da vida artística daquele a quem em Portugal chamavam «Génio Dramático» e no Brasil «Milagre Humano». O livro estará à venda na livraria do TNDM II. Mais informações sobre o livro, aqui
 
de Henrique Villaret 
com a presença do autor e de João Mota
livro distribuído por Just Media
21h - Pirandello (espetáculo)
Pirandello não é um espetáculo de Pirandello. Quer isto dizer: não é uma encenação de uma peça de teatro escrita por Pirandello. E, apesar de o seu nome dar título ao espetáculo, também não se trata de uma biografia do italiano Luigi Pirandello que nasceu em 1867 e morreu em 1936, autor multifacetado e distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1934. Mas é a história de uma vida que vamos contar – a de um homem inventado por Pirandello no livro Ele Foi Mattia Pascal, ou O Falecido Mattia Pascal. Na verdade, não é bem essa história, mas uma parecida... Na verdade, a história que a mala voadora vai contar é a de Albano Jerónimo. O Falecido Albano Jerónimo.


* Entrada livre mediante o levantamento de bilhetes, na bilheteira do TNDM II, a partir das 14h. Limite de 2 bilhetes por pessoa, sujeito à lotação disponível. Para este dia, não se aceitam reservas de lugares.
 
PRÉMIOS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CRÍTICOS DE TEATRO
28 MAR 2015
16h
SALÃO NOBRE | ENTRADA LIVRE

O TNDM II acolhe a cerimónia da entrega de Prémios da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro. O Prémio da Crítica relativo ao ano de 2014 será entregue ao espetáculo Al Pantalone, uma produção do Teatro Meridional, sobre texto de Mário Botequilha e com encenação de Miguel Seabra.
O júri foi constituído por Emília Costa, Helena Simões, João Carneiro, Maria Helena Serôdio e  Samuel Silva.
O mesmo júri decidiu ainda atribuir três menções especiais:  ao espectáculo Retrato de Dorian Gray, pelos Primeiros Sintomas, com especial destaque para o trabalho de Sandra Faleiro; ao cenógrafo Fernando Ribeiro pela sua criação em Coriolano; à atriz  Sara Carinhas pela sua composição performativa no espetáculo A Farsa.

Breve justificação apresentada pelo júri:

Prémio da crítica
Al Pantalone 
A partir de uma conjugação modelar de originais portugueses, que associava o brilhantismo do texto (de Mário Botequilha) à singularidade da música (de Rui Rebelo e Fernando Mota), Miguel Seabra revisitou, com singular virtuosismo, a Commedia dell’arte, revelando uma tipologia de personagens em representações excepcionais (por Guilherme de Noronha, Rui M. Silva, Sofia Correia e Vítor Alves da Silva), evocando, com delicado e sagaz humor, as armadilhas de uma sociedade magnetizada pelo dinheiro.

MENÇÕES ESPECIAIS atribuídas a: 
 
Retrato de Dorian Gray (pelos Primeiros Sintomas, com especial destaque para o trabalho de Sandra Faleiro) 
A partir de um texto não dramático - o romance de Oscar Wilde -, Bruno Bravo e a sua equipa (uma coprodução dos Primeiros Sintomas/ZDB) conceberam um espectáculo como uma pintura, numa poderosa tessitura dramatúrgica a suscitar uma atmosfera ritualística e aberta à imaginação do espectador. A personagem de Dorian Gray foi representada de forma absoluta e natural por Sandra Faleiro, que enigmaticamente procedeu da personagem representada à própria representação de Dorian Gray.
 
Fernando Ribeiro
Ao cenógrafo Fernando Ribeiro pelo seu trabalho em Coriolano, que confirma um sólido percurso artístico, ao longo do qual tem sido capaz de exibir, em cada nova obra, uma capacidade de conceber globalmente o espectáculo, reclamando para a cenografia um papel afirmativo na criação teatral.
 
Sara Carinhas 
Numa co-produção com o Teatro Nacional D. Maria II, a Karnart apresentou um projeto cénico que tomava por eixo criativo o universo agonístico do romance A farsa, de Raúl Brandão, tendo a actriz Sara Carinhas composto  a solo, com irrepreensível  rigor e contida expressividade, uma verdadeira liturgia de dor e raiva dos deserdados. 

Maria Helena Serôdio
Presidente do Júri
 
CONVERSA: CALMA, AINDA NÃO É O FIM NEM O PRINCÍPIO DO MUNDO
11 ABR 2015
16h30 
SALÃO NOBRE | ENTRADA LIVRE

"Vamos ter uma pequena conversa, tu e eu”, dirá Satã a J.B. em O Fim das possibilidades. Este encontro reúne um conjunto diversificado de convidados para prolongar, no Salão Nobre, o debate iniciado um dia antes, no palco do TNDM II. Em Calma, ainda não é o fim nem o princípio do mundo (título roubado ao poeta Manuel António Pina), a repórter de guerra Cândida Pinto, o ensaísta João Barrento e o teólogo Frei Bento Domingues juntam-se aos encenadores Nuno Carinhas e Fernando Mora Ramos para uma conversa à volta dos múltiplos desvios e sentidos, das muitas realidades e irrealidades que vivem dentro da peça de Jean-Pierre Sarrazac.

com Nuno Carinhas, Fernando Mora Ramos, Cândida Pinto, João Barrento e Frei Bento Domingues
moderação Pedro Sobrado
organização TNSJ com a colaboração do TNDM II 

 
POR.T.A. DOS ARTISTAS | PORTUGAL.TEATRO.ABRIL
20 ABR 2015
11h - 19h30
SALÃO NOBRE | ENTRADA LIVRE MEDIANTE INSCRIÇÃO

Encontro para reflexão entre atores, autores, encenadores e outros criativos, produtores, técnicos e público.
 
"Almeida Garrett escreveu em 1841: ‘O teatro é um grande meio de civilização, mas não prospera onde a não há. Não têm procura os seus produtos enquanto o gosto não forma os hábitos e com eles a necessidade’.  
 
Será que estamos condenados a continuar a dar razão ao poeta, dramaturgo, romancista, pedagogo e político que lançou as bases que conduziram à criação do Conservatório e do Teatro Nacional? E por quanto tempo ainda?”
Rui Mendes


11h - 11h15 | Propósito: Unir a família teatral
 
11h15 - 12h30 | Os Grupos históricos (de 1974 e a conquista da liberdade, a 2015 e as incertezas do futuro)
com Eugénia Vasques (Professora universitária)

14h - 15h | O Ensino de teatro, as saídas profissionais e as estruturas teatrais
com Patrícia Vasconcelos (Casting director)

15h - 16h | O Teatro de revista e o teatro escrito em português
com Francisco Nicholson (Ator, encenador e argumentista) e Jacinto Lucas Pires (Escritor)  

16h - 17h | Novos grupos – Novos caminhos
com Pedro Zegre Penim (Teatro Praga) e Gonçalo Amorim (Teatro Experimental do Porto)


17h30 - 18h30 | A Descentralização Teatral
com João Pedro Vaz (Comédias do Minho) e José Russo (Cendrev - Centro Dramático de Évora)


18h30 - 19h30 | A Crítica e a investigação teatral
com Maria Helena Serôdio (Professora universitária)

No final de cada painel prevê-se a realização de um pequeno debate.

uma iniciativa TNDM II
coordenação e moderação Rui Mendes e Fernanda Lapa
inscrições até 16 abr
ficha de inscrição aqui  
 
CICLO PORTUGAL - GALICIA: CENÁRIOS PARA UM ENCONTRO
5 MAI 2015 | 12 MAI 2015 | 19 MAI 2015 | 26 MAI 2015
19h
SALÃO NOBRE | ENTRADA LIVRE

As relações entre Portugal e a Galiza são tão profundas quanto desconhecidas. O Ciclo Galego pretende criar uma aproximação que permita retomar uma relação intensa tal como teve lugar nos anos 80 e 90. Composto por um espetáculo produzido conjuntamente, por um mês de programação galega em Lisboa, por um debate no âmbito dos Encontros Garrett e por um projeto de cooperação entre as três escolas nacionais de Teatro, esta é uma oportunidade de criar redes para o futuro.

5 MAI | Encontros Garrett - Exercício VII: A Corrida aos oceanos
Cem anos depois da eclosão da I Guerra Mundial, num paralelismo insólito, assistimos agora também a uma competição pelos recursos globais. A História não se repete. Mas ensina a expandir a experiência do ser humano, ao revelar o leque de possibilidades dos comportamentos do Homem. "A Corrida aos oceanos” está em debate nos Encontros Garrett, com o Director-Geral de Política do Mar, João Fonseca Ribeiro, os professores Mário Ruivo e Miguel Miranda, o investigador galego Jose Morales Vila e o Secretário-geral do Mar da Xunta de Galicia, Juan Carlos Maneiro. A moderação está a cargo da jornalista Teresa Firmino.


12 MAI - Galicia e Portugal, culturas em diálogo (debate)
Mesa redonda onde especialistas do setor cultural galego e português aprofundarão as cumplicidades, relações e interações entre as culturas das duas margens do rio Minho.


19 MAI - Vozes partilhadas
 (recital)
As letras galegas e portuguesas unem-se num recital poético, que contará com a interpretação musical do artista Xoán Curiel.


26 MAI - O Teatro galego na ficção cinematográfica (mostra cinematográfica)
Exibição do filme Doentes, uma longa metragem galega de ficção produzida em 2011 com realização de Gustavo Balza. É baseado na peça de teatro Doentes, de Roberto Vidal Bolaño.

Informação detalhada a disponibilizar, oportunamente.
 
 
LANÇAMENTO DE REVISTA - ENSAIOS DE TEATRO (N.º3)
9 MAI 2015
17h
ÁTRIO | ENTRADA LIVRE

A revista Ensaios de Teatro (n.º 3) resulta de uma parceria entre o TEatroensaio e a Deriva Editores, procurando contribuir para a divulgação do Teatro e da Dramaturgia em português. Numa primeira parte, a publicação conta com textos sobre os autores e peças apresentadas pela companhia, seguida de ensaios da publicação do texto vencedor do Concurso Anual de Dramaturgia – DramaTEns 2014 e da secção EntreEnsaios, com temas mais abrangentes que promovam o pensamento e a criação artística. Este lançamento surge no âmbito da apresentação do espetáculo Mulheres em Lorca, na Sala Estúdio, pelo TEatroensaio, entre 29 de abril e 10 de maio.
revista com participações de Pedro Estorninho, Eduardo Baltar Soares, Inês Leite, Carla Morgado, Honorato Esteves, Miriam Halfim, José Russo, Zeferino Mota, Afonso Cruz, Sérgio Lopes e Isabel de Sena
edição apoiada pelo Governo de Portugal/ Secretário de Estado da Cultura/DGArtes, entre outros

 
ODE MARÍTIMA
5 JUN 2015
18h
BIBLIOTECA DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA | ENTRADA LIVRE
no âmbito do Projeto Orpheu 100
 
Apresentado na Sala Estúdio do TNDM II, em 1987, Ode Marítima foi um espetáculo marcante, tendo destacado a crítica a interpretação de João Grosso, que lhe valeu, em 1988, o Prémio de Melhor Jovem Ator. Para esta interpretação, João Grosso "fez mais do que decorar o poema, como que o meteu na própria pele, é como se fizesse parte da sua respiração” (Carlos Porto, 1987). Este texto, único pelos jogos de linguagem, pelo ritmo e sonoridades, é caraterístico pela sua estética intensa. Para o pessoano e filósofo José Gil, Campos era dos heterónimos o "poeta do quotidiano metafísico”, tendo construído uma majestosa ode onde se revelam algumas linhas de força do período futurista e sensacionista. "A vida não chega. Afunda-te. Ribomba. Escancara o mar dos afetos. Nave vazia. Início. Sempre. Início.”

de Álvaro de Campos
criação e interpretação João Grosso
organização IN-CM (Imprensa Nacional - Casa da Moeda) em parceria com TNDM II
 
 
VOLTAR

domingo, 22 de março de 2015

sugestão musical...



Chegou a Primavera...


Poesia Reeditados dois livros de Eugénio de Andrade




Os livros 'Rosto precário' e 'Matéria solar', de Eugénio de Andrade (1923-2005) foram reeditados, prefaciados respetivamente, por Joana Matos Frias e Manuel Rodrigues, no âmbito do projeto de reedição da Obra Completa de Eugénio de Andrade, iniciado em 2012.
                                           
                                                                                                            Notícias ao Minuto
CULTURA

sábado, 21 de março de 2015

DIA MUNDIAL DA POESIA



A poesia sente-se, vive-se...
recria e renasce...



Aproveite a oportunidade de celebrar o Dia Mundial da Poesia...



Imagem intercalada 1


Centro de Reuniões, Pequeno e Grande Auditórios


Entrada livre sujeita à capacidade de cada uma das salas, excepto espectáculo Grande Auditório
Pequeno Auditório mediante capacidade da Sala, sujeita a apresentação de senha,
a ser entregue pela frente-de-casa, 30 minutos antes do início do espectáculo

Pelo sexto ano consecutivo e numa iniciativa conjunta do Plano Nacional da Leitura (Ministério da Educação e Ciência e Secretaria de Estado da Cultura) e do Centro Cultural de Belém, comemoramos no dia 24 de Março, o Dia Mundial da Poesia. Um programa intenso, ao longo do dia, que se inicia a partir das 14h com a Feira do Livro de Poesia, vários espaços onde a poesia portuguesa é dita por poetas, actores e personalidades. O indispensável espaço para os espontâneos, Diga lá um Poema e um conjunto de Oficinas e Actividades que a Fábrica das Artes organiza para todas as idades, bem como o espectáculo O Galo Gordo. Este ano, aMaratona da Leitura é dedicada a Ruy Belo, assim como a Exposição/Projecção Documental –Ruy Belo, espelho de poemas - que estará patente na Galeria CCB. O êxito das primeiras edições leva-nos a dar continuidade ao Concurso de Poesia dirigido às escolas, cuja selecção final terá lugar no CCB, com a atribuição de prémios para os melhores poemas. Este ano teremos novamente um espaço dedicado à Poesia Latino-Americana, organizado em colaboração com a Casa da América Latina.
O Centro de Reuniões, o Centro de Espectáculos vão ser vividos num ambiente de festa com muita poesia, para todas as idades.

quinta-feira, 19 de março de 2015

8 de Abril de 2015 - Sala 3.02


Concurso
 Canguru Matemático Sem Fronteiras




Inscreve-te até dia  19 de Março 
 com um Professor de Matemática
 e consulta o site: 

  http://www.mat.uc.pt/canguru/



quarta-feira, 18 de março de 2015

ESCOLA SECUNDÁRIA DE FONSECA BENEVIDES

Festa-convívio do Ensino a Distância
“Afazeres com arte”
Quinta-feira, 19 de março
10h – 13h - hora de almoço - 14h – 17h

NO EXTERIOR DA ESCOLA, junto ao bar

Para assistir:
                   11h30m – Dança – alunas da Ajuda de Mãe
                   12h30- Canto – atuação do Cant’alto
                   14h – Realidade aumentada – Professor José Gonçalves
                   14h30 – Circo – malabarismo – David Castanheira
                   14h45 – Circo – ginástica – Jéssica Alves
                   15h – Canto – atuação de Quévin Mariz (participante no “The Voice Portugal Kids”)

Para comprar:

                   Pequeno mercado de artigos confecionados por professores e alunos ou ligados às atividades dos Encarregados de Educação dos alunos.


NO INTERIOR DA ESCOLA

Para visitar:
                   Piso 3 - Biblioteca Escolar – BE – apresentação de vídeos de trabalhos autobiográficos e de Educação Visual realizados pelos alunos.
                   Piso 2 – Sala 2.08 – MAGIA – apresentação de vídeos de números de circo realizados por alunos do Ead.
                            - Sala do EaD – EAD - local de trabalho dos professores do EaD e ligação por Skype aos alunos do Programa Escolhas.
                   Piso 1 – Sala 1.06 – VIDAS – apresentação de vídeos de entrevistas e reportagens sobre os alunos do Ead e exposição de trabalhos de Educação Tecnológica e Espanhol e de artigos da comunicação social.

terça-feira, 17 de março de 2015

Amanhã, das 10.00h às 17.00h, quer viajar no tempo...? Visite-nos, pois não se vai arrepender!




ESCOLA SECUNDÁRIA DE FONSECA BENEVIDES


Biblioteca  Escolar

CONVITE

“Viagem no Tempo… 
A nossa Escola e o Adeus aos Misteres de Lisboa”





 


A nossa Biblioteca Escolar continua a assumir-se como um local ativo de aprendizagem e um núcleo de implementação e de desenvolvimento de atividades culturais e artísticas à disposição de toda a comunidade educativa.

Deste modo, durante a semana da escola, no dia 18 de março de 2015, das 10.00h. às 17.00h, a Biblioteca apresenta uma atividade que consiste numa viagem no tempo, realçando a história da nossa escola e a sua importância formativa, enquanto instituição com uma “reconhecida tradição de 100 anos ao serviço do ensino público de excelência”.

Venha visitar-nos e terá a oportunidade de assistir a um quadro de história ao vivo da Lisboa de outras eras, cidade plena de vida, acordada pelo bulício dos seus pregões, emitidos por vozes que só existem na nossa memória.

Há vozes que se apagaram, abraçadas a profissões que já desapareceram e muitas outras em vias de extinção, no entanto, a ESFB continua bem viva, ao longo da sua trajetória centenária, dando resposta formativa às várias solicitações da sociedade, a par da evolução artística, científica e tecnológica.

Assim, acreditando na vontade de congregarmos energias, nesta fase tão importante da vida da ESFB, contamos com a vossa presença nesta atividade, para que esta semana da escola perdure na nossa lembrança muito “para além dos olhos…”

 
                                                                                    Coordenação da Biblioteca Escolar

E outra vez conquistemos a Distância —

Do mar ou outra, mas que seja nossa!           

Mensagem. Fernando Pessoa. Lisboa

segunda-feira, 16 de março de 2015

Vá assistir à representação teatral de "Pirandello" de 12 MAR a 4 ABR 2015


©Filipe Ferreira

"Pirandello"


Teatro Nacional D. Maria II


Pirandello não é um espetáculo de Pirandello. Quer isto dizer: não é uma encenação de uma peça de teatro escrita por Pirandello. E, apesar de o seu nome dar título ao espetáculo, também não se trata de uma biografia do italiano Luigi Pirandello que nasceu em 1867 e morreu em 1936, autor multifacetado e distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1934. Mas é a história de uma vida que vamos contar – a de um homem inventado por Pirandello no livro Ele Foi Mattia Pascal, ou O Falecido Mattia Pascal. Na verdade, não é bem essa história, mas uma parecida... Na verdade, a história que a mala voadora vai contar é a de Albano Jerónimo. O Falecido Albano Jerónimo.

Numa viagem que faz para se afastar temporariamente da vida infeliz que tem (a morte da mãe, do único irmão, do filho, da tia, um emprego miserável, uma mulher que já não ama e uma sogra infernal com quem é obrigado a viver), Mattia Pascal – ou Albano Jerónimo – ganha uma pequena fortuna num casino e, quando regressa rico, depara-se com o seu próprio funeral. Trata-se naturalmente de um equívoco, mas ele vê ali a oportunidade de começar uma nova vida, num outro lugar, sem compromissos, sem um passado para além daquele que ele próprio inventará – uma vida que vai poder escolher com toda a liberdade. Começa por escolher um nome: depois de ser dado como morto, Albano Jerónimo decide ser Giovanni. Viaja. Arranja um sítio para morar. Conhece algumas pessoas. Mas nem tudo corre como ele esperaria: a sua nova vida obriga-o a mentir constantemente. Diz mentira a seguir a mentira. O que na verdade é óptimo, porque é para dizer boas mentiras que a arte serve. Foi por isso que a mala voadora decidiu fazer Pirandello a partir deste romance de Pirandello.

Pirandello
, um elogio da ficção, é um laboratório de meta-teatralidade em torno de um texto não-dramático do dramaturgo mais meta-teatral do século XX. Sobrepõe-se, ao abismo ficcional que caracteriza o romance, uma meta-teatralidade que não é aquela que Pirandello usa nos seus próprios textos dramáticos, mas uma outra, inventada a partir da narrativa não-dramática.

mala voadora
                                                                    Teatro D. Maria II

sábado, 14 de março de 2015

Celebra-se hoje dia 14 de março o dia do  







A razão entre o perímetro de um círculo e o seu diâmetro  produz o número PI.




O mistério do Pi, é obtermos sempre um valor igual e constante e o de não podermos conhecer a sua última casa!  Foi este facto, que fez com que a representação do Pi  fosse feita pela letra do alfabeto grego.






                                                                          Isto é matemática -  O PI existe

                                                 
                                     

Para saberes  mais consulta o 
                   

http://clubedematematicadafonseca.blogspot.pt/




sexta-feira, 13 de março de 2015

Vencedora do Desafio de Matemática

Joana Veríssimo  9ºVI



Vencedora do canguru matemático no ano anterior, Joana Veríssimo mais uma vez orgulha a nossa Escola ao vencer o desafio matemático:


"Quatro suspeitos de um crime fizeram as seguintes declarações à polícia:

António: Foi o Carlos

Bernardo: Eu não fui

Carlos: Foi o David

David: O Carlos mentiu quando disse que fui eu.


Sabendo que exatamente uma das quatro declarações é verdadeira, quem cometeu o crime?"



Resolução: Como as declarações do Carlos e do David são contraditórias, uma delas é necessariamente verdadeira. Como só uma das quatro declarações é verdadeira, então as do António e do Bernardo são falsas. Portanto quem cometeu o crime foi o Bernardo.




Parabéns Joana!


Prémio: Dois bilhetes para a peça "PIRANDELLO"



Parabéns à vencedora e um Bem-haja a todos pela Vossa Participação!

Profª Susana Martin Tenreiro

quarta-feira, 11 de março de 2015

"Isto é Comigo?" Novo programa televisivo de grande utilidade...



Assista na RTP – RTP1, RTP2, RTP Informação, RTP Internacional e RTP África – a rubrica “Isto é Comigo?”. Porque a compreensão das estatísticas não tem que ser um assunto exclusivo de especialistas, os programas falam de uma forma clara e acessível, sobre conceitos e indicadores que, apesar de serem familiares e de nos implicarem enquanto cidadãos, nem sempre são de compreensão imediata ou óbvia.
                           
  "Pordata"- Fundação Francisco Manuel dos Santos


 
 
 
 
 
 

domingo, 8 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher


Evento Dia da Mulher: Retratos de 20 cientistas para ver em Lisboa

Vinte retratos, vão estar expostos a partir de hoje, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, numa homenagem às cientistas portuguesas, no dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher.

"Notícias ao minuto"

sexta-feira, 6 de março de 2015

Histórias contadas em poesias inventadas 2015 comemoração do dia mundial da poesia e da floresta



Entrada Livre 


destaque catálogo_POESIA2015.jpg

sábado, 21 de março 2015das 10H00 às 17hH00na Estufa Fria de Lisboa


co-produção: BLX e Estufa Fria

Pelo segundo ano consecutivo as Bibliotecas de Lisboa | Rede BLX e a Estufa Fria de Lisboa irão comemorar o Dia Mundial da Poesia e das Florestas, a 21 de março, realizando uma série de atividades para famílias e público em geral, na Estufa Fria, das 10H00 às 17H00, e na Biblioteca Camões, às 18H30.

A poesia e a natureza fundem-se num lugar mágico e único, onde as palavras e a beleza do espaço originam momentos de lazer, criatividade e prazer. E em cada canto daquele oásis com mais de 300 espécies, plantam-se rimas e contos e descobrem-se plantas.


file:///C:/Users/Sara/Downloads/cartaz%20programa%20POESIA2015.pdf

Hoje começa a tirar-se uma fotografia que só estará captada no ano 3015

É isso mesmo que está a pensar: esta fotografia vai ter um tempo de exposição de mil anos e tem como objetivo captar uma mudança milenar no horizonte da cidade de Tempe, nos EUA..                                                                                                                               
Fonte:  Sapotek
Link: http://tek.sapo.pt/noticias/computadores/hoje_comeca_a_tirar_se_uma_fotografia_que_so_1433310.html

quinta-feira, 5 de março de 2015

Centro Ciência Viva de Constância | 5 de Março de 2015




Deliciem-se, pois...



ADEUS

Queria dizer-te – Adeus amor
e enterrar-te em mim
com um lençol bordado de poemas.

Queria dizer-te – Adeus amor
sombra silenciosamente diluída
no oceano dos ruídos imaginários
sem essa imagem desfocada
no fundo das tuas pupilas.

E não escrever a pulso este poema
Tangendo um filho recém-morto
Na planície dos fantasmas inocentes.

Queria ver antes do teu regaço
saltarem novas estrelas para o espaço
como faúlhas em fúria na fogueira.

Por isso esqueço (ou finjo que o faço)
dedos  famintos como sorrisos sufocados
à espera dos meus a noite inteira.

JReis - 2002


terça-feira, 3 de março de 2015

Leia, leia, leia...


A leitura é o único "vício" permitido...

Conheça algumas das novidades literárias da nossa BE.

Visite-nos ou, então,  aguarde pelo atropelo do "carrinho das letras", pois, em breve, vai partir bem recheado para todos os gostos...


 
 Sinopse: No dia 9 de outubro de 2012, Malala Yousafzai, então com 15 anos, regressava a casa vinda da escola quando a carrinha onde viajava foi mandada parar e um homem armado disparou três vezes sobre a jovem. Nos últimos anos Malala – uma voz cada vez mais conhecida em todo o Paquistão por lutar pelo direito à educação de todas as crianças, especialmente das raparigas – tornou-se um alvo para os terroristas islâmicos. Esta é a história, contada na primeira pessoa, da menina que se recusou a baixar os braços e a deixar que os talibãs lhe ditassem a vida. É também a história do pai que nunca desistiu de a encorajar a seguir os seus sonhos numa sociedade que dá primazia aos homens, e de uma região dilacerada por décadas de conflitos políticos, religiosos e tribais.

Eu, Malala é um livro que nos leva numa viagem extraordinária e que nos inspira a acreditar no poder das palavras para mudar o mundo.
A adolescente que desafiou os talibãs tornou-se, em 2014, na pessoa mais jovem a receber o Prémio Nobel da Paz, em reconhecimento pela sua luta pelos direitos humanos. Aos 17 anos, Malala Yousafzai foi também considerada uma das Adolescentes Mais Influentes do Mundo, pela revista Time.


Editorial Presença


Sinopse:

Maus ("rato", em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu polaco sobrevivente de Auschwitz, narrada por si próprio ao filho, o cartoonista Art Spiegelman. O livro é considerado um clássico contemporâneo da BD. Foi publicado em duas partes: a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, o livro ganhou o prestigioso Prémio Pulitzer de literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica.
Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas - história, literatura, artes e psicologia. Com uma nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazis ganham feições de gatos; os polacos não-judeus são porcos e os americanos, cães. Este recurso à imagética da fábula, aliado à ausência de cor, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo da BD e da literatura em geral, e um relato histórico de valor inestimável.
 
Bertrand editora
 
 
 
 
 
 Sinopse:


Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura.

Este testemunho impressionante tem tido um impacto imenso por todo o mundo desde que foi publicado pela primeira vez. O relato desta adolescente sensível e inteligente, que menos de dois anos após ter fumado o seu primeiro «charro» se prostitui depois das aulas para pagar a sua dose diária de heroína, e o pungente testemunho da sua mãe fazem de Os Filhos da Droga um livro sem paralelo. Estas páginas ensinam-nos muito, não apenas sobre a droga e o desespero, mas também sobre a deterioração do mundo de hoje.

                                                                                                                    Bizancio


 

 




Sinopse:


Um álbum de 48 páginas publicado pela Kingpin Books em Outubro de 2012 que mostra o que têm em comum agentes da PIDE, pescadores da Nazaré e zombies.
 Eis o texto de apresentação da obra:
 "1967. Incumbido de investigar relatos macabros sobre uma horda de pescadores mortos que voltam para apavorar uma pequena vila costeira, o Inspector Rui Brás, da PIDE, é enviado para impor a sanidade e o silêncio recomendáveis, a meses de uma importante visita papal.
 Acometido por medos e dúvidas quanto ao rumo da sua própria carreira, Rui descobre que os relatos sobre a vila são bem reais e o horror bem palpável. Dividido entre um padre deslocado e resignado, e uma mulher desequilibrada acusada de invocar os mortos, o inspector acaba por entrar num “baile” de actos e consequências nefastas que poderá arrastar toda a vila para um desenlace trágico (...)"
 

Públicono álbum Títulos BD 2012


 
Sinopse:
 
Do mesmo autor do thriller "A Ameaça", chega-nos o primeiro volume de um arrebatador romance histórico que se revelou ser uma obra-prima aclamada pela comunidade de leitores de vários países que num verdadeiro fenómeno de passa-palavra a catapultaram para a ribalta. Originalmente publicado em 1989, veio para o nosso país em 1995, publicado por outra editora portuguesa, recuperando-o agora a Presença para dar continuidade às obras de Ken Follett. O seu estilo inconfundível de mestre do suspense denota-se no desenrolar desta história épica, tecida por intrigas, aventura e luta política. A trama centra-se no século XII, em Inglaterra, onde um pedreiro persegue o sonho de edificar uma catedral gótica, digna de tocar os céus. Em redor desta ambição soberba, o leitor vai acompanhando um quadro composto por várias personagens, colorido e rico em acção e descrição de um período da Idade Média a que não faltou emotividade, poder, vingança e traição. Conheça o trabalho de um autêntico mestre da palavra naquela que é considerada a sua obra de eleição.


Wook

 

 
Sinopse:A Insustentável Leveza do Ser é seguramente um dos romances míticos do século XX, uma daquelas obras raras que alteram o modo como toda uma geração observa o mundo que a rodeia.
 

 

 Wook

   
 

 


Sinopse:
Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura. Também recomendado para a Formação de Adultos, como sugestão de leitura - Grau de Dificuldade III.

A existência de F. Scott Fitzgerald coincide literariamente com os dois decénios que separam as duas guerras, repartindo-se entre a América onde nasceu, numa pacata cidade do Middle West, no Minnesota, e a França, onde viveu durante vários anos com a família. O seu nome evoca-nos uma geração que associamos à lendária idade do jazz, vertiginosa e fútil. Fitzgerald pertenceu a essa geração, foi um dos seus arautos. A sua vida tão precocemente visitada pela fama, e tão cedo destruída, é a carne e o sangue de que é feita a sua obra. O Grande Gatsby é o seu maior romance, talvez porque nele se fundem com rara felicidade essa matéria-prima, a sua própria experiência de vida, e uma linguagem de grande qualidade poética.
 
Wook





Sinopse: O Estrangeiro revelou e consagrou definitivamente Camus como um verdadeiro "clássico" da literatura contemporânea. Romance estranho, desconcertante sob uma aparente singeleza estilística, nele se joga o destino de um homem que viveu a vida de acordo com a sua sensibilidade e a evidencia do absurdo de existir.
 
 Wook
 
 

domingo, 1 de março de 2015

Portugal no Século XVI: Histórias de pilotos e de sábios

OUÇA AQUI O VÍDEO DA  EXCEPCIONAL CONFERÊNCIA - HENRIQUE LEITÃO



https://www.youtube.com/watch?v=TuPnpDq0M64#t=41

Portugal no Século XVI: Histórias de pilotos e de sábios

Um dos principais contributos que a ciência portuguesa deu ao mundo foi a primeira carta magnética. No séc. XVI os pilotos das caravelas portuguesas sulcavam o oceano com as suas bússolas, sem nunca perder o norte… Os dados que recolhiam permitiram aos cientistas da época realizar a primeira carta do campo magnético terrestre. A carta estará em exposição durante a conferência, com a colaboração do Museu de Marinha.

Henrique Leitão doutorou-se em Física na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Cedo enveredou pela História das Ciências, em particular pelo estudo das ciências matemáticas em Portugal nos séculos XVI e XVII.
Coordenou a comissão científica responsável pela publicação das Obras Completas de Pedro Nunes e, em 2013, foi o Comissário da exposição “360º Ciência Descoberta”, realizada na Fundação Calouste Gulbenkian. É membro de Academias nacionais e estrangeiras, nomeadamente a Académie Internationale d'Histoire des Sciences e a European Society for the History of Science. É também o representante nacional na Division of History of Science and Technology da International Union of History and Philosophy of Science.
Foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa 2014, em reconhecimento do seu “trabalho inovador de reconstrução histórico-científica do legado científico português e peninsular para a Modernidade".