Páginas

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

"Há-de vir um Natal e será o primeiro"...



Ladainha dos Póstumos Natais


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que se veja à mesa o meu lugar vazio 



Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que hão-de me lembrar de modo menos nítido


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que só uma voz me evoque a sós consigo


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que não viva já ninguém meu conhecido


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem vivo esteja um verso deste livro


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que terei de novo o Nada a sós comigo


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem o Natal terá qualquer sentido


Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que o Nada retome a cor do Infinito




David Mourão-Ferreira, in 'Cancioneiro de Natal'

Recordação da Festa "À volta da árvore", na nossa Biblioteca Escolar..

Foi "à volta da árvore" que as canções e as palavras aconchegaram o ambiente natalício...


Os preparativos da festa
Os preparativos da festa

Os preparativos  da festa

O espaço da festa

Os ensaios do Cantalto nos bastidores
Os ensaios do Cantalto nos bastidores
Cant'alto
10ºPQ

11ºPQ

9º1ª

Prof. João Reis

11º PQ
11ºPQ
11ºPQ


Dupla artística"SKS"
Dupla artística "SKS"


Data e hora por definir. 
Estão todos convidados. 


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Para mais informações, contactar Prof. Rafael Pacheco.
(A palestra realizar-se-á no 2º Período em data a definir oportunamente.)


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Visite a venda de Natal






Autora do cartaz: professora Fátima Ponte.

O grupo de voluntariado da nossa escola vai participar na venda de Natal

Boas práticas dos alunos da nossa escola...

"Os alunos do 10ºano do Curso de Técnico de Análise Laboratorial mobilizaram-se e fabricaram velas, que foram vendidas na escola no dia 16 de dezembro.


O dinheiro da venda contribuirá para a aquisição de produtos alimentares para a Associação Pró-Alcântara ajudando a melhorar as condições dos seus utentes.

Muito obrigada a todos os alunos que se envolveram nesta ação.
Obrigado a todos os alunos, professores e funcionários que colaboraram !!!"


Os alunos do 10ºano do Curso de Técnico de Análise Laboratorial



domingo, 14 de dezembro de 2014

Mais Natal "à volta da árvore"...



No dia 16 de dezembro, 3ª feira, pelas 14h.30, a nossa BE  oferece-vos palavras e música "à volta da árvore"...




Autora do cartaz: Professora Fátima Ponte


Existirá algo de mais belo e original?

Só as nossas árvores de Natal...


Processo de construção...






ÁRVORE DE NATAL DA BIBLIOTECA DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE FONSECA BENEVIDES
Árvore Branca versão 1, 2014
Material: Sacos plásticos brancos de alta densidade, arame, fio de nylon, iluminação
...
Dimensões: 295 cm altura x 200 cm diâmetro
Temática: Sensibilização para a reutilização de materiais
Esta forma de agir caracteriza-se por dar uma nova utilização a um determinado objecto/produto, prolongando o seu ciclo de vida.
Dar uma nova vida aos sacos de plástico é permitir que tenham novos usos.
O seu potencial de reutilização é praticamente infinito, havendo mil e uma formas para o fazer.
Eis um exemplo prático e muito estético.
Conceção: Prof Fátima Ponte
Realização da árvore: Prof Fátima Ponte; Prof Elsa Matos; Prof Anabela Fernandes
Apoio: Prof Carlos Banha
Colaboração: Alunos do 11º PQ








A ÁRVORE DE NATAL DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE FONSECA BENEVIDES
Árvore Branca versão 2, 2014
Material: Sacos plásticos brancos de alta densidade, arame, fio de nylon, iluminação
...
Dimensões: 900 cm altura x 350 cm diâmetro
Temática: Sensibilização para a reutilização de materiais
Esta forma de agir caracteriza-se por dar uma nova utilização a um determinado objecto/produto, prolongando o seu ciclo de vida.
Dar uma nova vida aos sacos de plástico é permitir que tenham novos usos.
O seu potencial de reutilização é praticamente infinito, havendo mil e uma formas para o fazer.
Eis um exemplo prático e muito estética.
Conceção: Prof Fátima Ponte
Realização da árvore: Prof Fátima Ponte; Prof Elsa Matos; Prof Anabela Fernandes
Apoio: Prof Carlos Banha; Prof Manuel Moutinho
Colaboração: Alunos do 12º PR; Alunos do 11º PQ; Alunos do 9º CE






sugestão musical...


Band Aid 30 - Do They Know It's Christmas? (2014)



sábado, 13 de dezembro de 2014

Concertos de Natal com entrada livre...

tradição



Entre 6 e 21 de Dezembro o Natal vai ser o mote de vários concertos na capital. Os Concertos de Natal vão ter lugar em diversas igrejas de Lisboa.

No dia, 13 de Dezembro, A Sinfonietta de Lisboa, dirigida pelo Maestro Vasco Pearce de Azevedo, interpretará em estreia absoluta, pelas 19h na Igreja de S. Nicolau, obras de Handel e Tchaikovsky.

A Basílica da Estrela recebe no dia 19 de Dezembro, às 21h30, a Orquestra Sinfónica Juvenil. A Orquestra irá tocar a Missa de Requiem em ré menor de Mozart.

O penúltimo desta série de concertos tem lugar na Igreja de Nossa Senhora do Loreto, no dia 20 de Dezembro, às 21h30. A Orquestra Metropolitana de Lisboa vai interpretar obras de Handel, Bach, e Vivaldi.

O concerto final, na Igreja da Graça, no dia 21 de Dezembro reúne vários coros e a Orquestra Filarmonia das Beiras. Pelas 16h poder-se-à ouvir o Magnificat de Bach e Coronation Anthems de Handel.

Amigo Secreto: vamos brincar?



Desenho de amigo secreto


Os interessados  dirigem-se à professora Patrícia Alves (sala do EaD).
A brincadeira  começou na 5ª feira passada e termina a 18 de dezembro, à hora do almoço.
Nesse dia, estão todos convidados para o almoço.

"É hora de brincar"!


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Olho hoje para a matemática e digo, afinal isto era fácil



Numa entrevista interessantíssima feita por Carlos Marinho da Sociedade Portuguesa de Matemática a um dos humoristas mais versáteis e notáveis da comédia nacional, foram colocadas, entre outras, as seguintes perguntas, as quais se acompanham das respetivas respostas:


Para o Nilton a matemática era “Supcelente” ou fazia parte da equipa titular?
Supcelente, supcelente (ri)...eu faço parte daquela geração que a matemática parecia um bicho de sete cabeças, alargado à própria sociedade, pintavam a matemática como algo que fazia mal às pessoas. Hoje penso doutra maneira. Olho hoje para a matemática e digo, afinal isto era fácil. Vejo pelos meus sobrinhos, quando precisavam, eu ajudava-os. Já me vinguei, tenho um sobrinho que é barra a matemática. O meu sobrinho tem vinte valores a matemática. Tem 10 por ele e 10 por mim.


O matemático Adrian Paenza escreveu: os pais motivam nos primeiros meses os filhos a falar e andar, para nos 12 anos a seguir, dizer-lhes para estarem calados e quietos. O Nilton tem um filho, o Noah, de 3 anos. Como é?
Eu faço ao contrário. Em termos de cabeça incentivo-o a falar muito e a exprimir-se. Dou sempre um bom exemplo, que é fazer-lhe perguntas inusitadas que não são para a sua idade. Há dias convencio-o a dizer-me qual é a palavra preferida. Estava a explicar-lhe que a minha palavra preferida era “carabinieri”, polícias italianos. Quando ele percebeu, só me dizia “chchi/cocó”. Ele está nessa fase, para ele são as palavras preferidas dele. Depois fui buscá-lo à escola, e disseram-me que ele estava com umas conversas tão estranhas. Queria saber qual é a sua palavra preferida. Isso vem de onde? Perguntaram-me. Na escola estavam a achar aquilo estranho. Para mim não, sou eu a provocar-lhe o cérebro e obrigá-lo a pensar e a fazer coisas diferentes, que cortam com o hábito dele. Faço e tomo atitudes que ele não está à espera, que cortam com o normal dele e que ele está habituado. Faço-lhe cócegas no cérebro.


Uma história que nos possa (de)escrever que envolva matemática...
Sobre a matemática, uma vez fiz férias com um casal amigo, eles são engenheiros, dão aulas no Porto. Estavam a fazer testes na praia, na última semana de férias, eu achava aquilo girissimo. Eu olhava e dizia que nunca conseguiria fazer isso. Eles com altos problemas de matemática e perguntavam entre si: - o que achas destes? Pareciam dois amigos a fazer sodoku ou palavras cruzadas, mas eram problemas de matemática da faculdade. Achei muita piada.

O Natal está a chegar....Carol of the Bells

Para 12 violoncelos







O violoncelo pertence aos cordofones que, como o nome indica, englobam os instrumentos em que o som é produzido através da vibração de uma corda, seja ela percutida (piano), beliscada (guitarra) ou friccionada (violino, viola de arco, violoncelo, contrabaixo, etc). 


O violoncelo, também é conhecido como cello, possui quatro cordas e diferencia-se dos outros instrumentos pelo tamanho, fazendo com que seja necessário apoiar-se no chão, por meio do espigão, uma haste de metal na sua extremidade. Geralmente é tocado com o arco, podendo também tocar a técnica de pizzicato.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos




 

 

"A essência dos direitos do Homem é o direito a ter direitos."
 
Hannah Arendh



O Dia Internacional dos Direitos Humanos é celebrado a 10 de dezembro.

A data tem como objetivo homenagear o empenho e a dedicação de todos os cidadãos defensores dos direitos humanos e refletir sobre os diferentes tipos de discriminação, promovendo a igualdade entre todos os cidadãos.

A celebração da data foi escolhida para honrar o dia em que a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou, a 10 de Dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos do Homem.

 
Esta declaração foi assinada por 58 estados  tendo como objetivo promover a paz a preservação da humanidade após o conhecimento das atrocidades cometidas durante a 2ª Guerra Mundial.
 
A Declaração Universal dos Direitos do Homem delineia os direitos humanos básicos que devem assistir todos os cidadãos.
 
O dia 10 de dezembro é também marcado pelo entrega do Prémio Nobel da Paz.
 
 
 
 

sábado, 6 de dezembro de 2014

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

"Viaturas de gala e de passeio" do Séc. XVII a XIX - Museu Nacional dos Coches, no domingo, dia 7 de dezembro - Entrada livre





Reunindo uma colecção única no mundo de viaturas de gala e de passeio do Séc. XVII a XIX, na sua maioria provenientes dos bens da coroa ou propriedade da Casa Real portuguesa, o Museu Nacional dos Coches inclui no seu espólio coches, berlindas, carruagens, seges, carrinhos de passeio, liteiras, cadeirinhas e carrinhos para criança formando um conjunto de excelente qualidade que permite ao visitante a compreensão da evolução técnica e artística dos meios de transporte de tracção animal utilizados pelas cortes europeias até ao aparecimento do automóvel.

Da colecção exposta destaca-se o raro exemplar de coche de viagem de Filipe II, construído em Espanha em finais do Séc. XVI, início do Séc. XVII, um dos modelos de coche mais antigos que se conhece.

Particular relevo merecem também os três monumentais coches da Embaixada do Marquês de Fontes ao Papa Clemente XI, construídos em Roma em 1716. Estas viaturas, únicas no mundo, são exemplares perfeitos da "carrozza romna" de aparato, onde as caixas abertas se conjugam com imponentes composições escultóricas nos alçados traseiros e dianteiros, alusivas aos Descobrimentos e Império portugueses.

Para além dos arreios de tiro pertencentes às viaturas, a colecção reúne ainda um conjunto significativo de arreios de cavalaria, bem como fardamentos de gala e de serviço aos coches, um núcleo de armaria e acessórios de cortejo setecentistas. Completam a colecção os retratos a óleo dos monarcas da dinastia de Bragança, antigos proprietários dos carros expostos, e um importante conjunto de documentos gráficos composto por desenhos, gravuras e fotografias relacionados com as peças ou com a história do museu.


Entrada Livre: 1º domingo de cada mês // + de 65 anos: 3€ // Cartão jovem: 3€

Agenda Viva

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Óbidos pretende ser a capital do livro...

 José Pinho, proprietário da livraria "Ler Devagar", está a preparar o festival literário da vila, previsto para setembro de 2015.

No verão, vai surgir um novo espaço dedicado a Fernando Pessoa.


"O objetivo é criar lojas que se reconhecem por serem sempre diferentes (...)"                                                      i                          n DN Letras

http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4267656

 

 

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Nocturno





No século XVIII, o Nocturno designava uma curta peça instrumental para execução de noite, ao ar livre, à semelhança da serenata e do divertimento. Os compositores românticos Chopin, Listz e Schumann foram os maiores compositores do género, infundindo-lhe um sentido poético repleto de nostalgia e sensibilidade.


Chopin Nocturne Op.9 No.2


  

 

Liszt's "Nocturne No 3 in A flat Major



Fonte: Colecções Grande Piano - As mais belas interpretações